sábado, 30 de maio de 2009

Read Magic! - Erac's Cousin, parte 3 (Final)

De volta às masmorras de Greyhawk, Erac’s Cousin e o guerreiro Ayelerach [N.T: personagem de Mark Ratner] encontraram uma Linda face que chorava lágrimas douradas. A face contou aos aventureiros a história de seu aprisionamento e os feitos heróicos necessários para a libertar. Os aventureiros concordaram em recuperar a The Urn of Moon Dust (“A Urna de Poeira Lunar”) de um grupo de homens-ursos. Erac’s Cousin e Ayelerach recuperaram a urna com sucesso, e para completar a missão, eles espalharam a poeira lunar na imagem chorosa.

A face era na verdade o príncipe demônio da enganação, Fraz-Urb’luu, que havia sido aprisionado pelo louco arquimago Zagyg séculos atrás. O término da missão resultou em sua libertação. Quando ele assumiu sua verdadeira forma os aventureiros atacaram o demônio, tentando concertar a tolice que fizeram. O demônio enfurecido contra-atacou ferozmente. Desesperado, Erac’s Cousin usou a magia Gate (“Portal”) vinda de um pergaminho que ele tinha para invocar Zeus, mas para o horror e choque deles, o deus decidiu ignorar o pedido de ajuda. O demônio rapidamente levou a si e aos aventureiros de volta ao seu plano natal onde estranhas forças locais drenaram a magia de todos os itens que Ayelerach e Erac’s Cousin carregavam incluindo as estimadas espadas Vorpal. Fraz-Urb’luu rapidamente subjugou os aventureiros aprisionados e eles sofreram torturas indescritíveis nas suas mãos antes de eventualmente conseguirem escapar.

Erac’s Cousin culpou aos deuses pelo sofrimento que havia sofrido nas mãos do demônio, assim como a perda de seus valiosos itens. Ele amargamente deus as costas aos poderes do bem que havia prestado homenagens no passado, e escolheu si mesmo um caminho maligno. O arcano sem nome invocou o archfiend of Hell (“Arquidemônio do Inferno”) Asmodeus [N.T: que pra quem não sabe, é o big boss dos devil –ou tanar’ri na 2ed.] e um pacto fora feito. A anteriormente poderosa força do bem era agora um dos grandes campeões do Inferno. Para ajudar em seus esforços, e como parte do pacto, Erac’s Cousin ganhou um imp como familiar. Contudo, ele não confia no imp, e teme que Asmodeus o tenha enganado de alguma forma.

Deste ponto em diante, Erac’s Cousin se tornou um assassino psicótico. Ele rapidamente assassinou todos seus antigos associados e empregados, roubou todos seus bens e magias, queimou sua fortaleza e se tornou um andarilho, viajando somente com seu imp, na forma de um rato, como companheiro.

Erac’s Cousin tomou várias poções da longevidade e parece muito jovem. Ele é capaz e mortal, mas também paranóico e evita qualquer situação que julgue arriscada.
Desde que o arcano sem nome descobriu o corpo de Erac, ele o guardou em sua posse. Originalemnte ele havia guardado o corpo escondido num local secreto, mas agora o carrega junto de si, guardado num Buraco Portátil. Ocasionalmente Erac’s Cousin ainda pensa em ressucitar Erac.



Bom pessoal, e assim concluímos a montanha russa que foi a história do Primo de Erac! Assim ela foi contada como ocorreu em jogo, mas ela se torna um pouco diferente quando teve que se adequar para entrar no “canon” de Greyhawk. Não da pra imaginar um assassino maníaco destes num produto de 2ed, quem dirá num de 3x/4 ed! No Monstrous Manual II para o 1ed, alguns detalhes sobre a prisão e conseqüente libertação de Fraz-Urb’luu também são um pouco diferentes, mas a versão acima é como ocorreu na campanha de Gary Gygax.

Mais uma vez, agradeço ao Scott Gregg por esclarecer as dúvidas e me dar apoio com o texto.
Até a próxima!

2 comentários:

  1. SENSACIONAL!Espero por mais histórias assim

    ResponderExcluir
  2. O cara virou um maligno? Era de se esperar...

    ResponderExcluir