terça-feira, 15 de novembro de 2011

Cheers Gary - sabedorias de Gary Gygax

Recentemente adquiri o livro "Cheers Gary", que nada mais é do que uma compilação de alguns Q&A no fórum do EnWorld. O livro em si não trás nada de inédito, e todo seu conteúdo pode ser lido nos fóruns.

O negócio é que, além de ajudar o Gygax Memorial, o livro é muito prático pra mim, e posso dizer com certeza que valeu a pena o investimento (25 USD + frete).



Alguns fatos e questões interessantes:
-Gygax não gostou muito de três coisas no Caverna do Dragão : Uni, Bobby e as armas mágicas. Uni e Bobby até entendemos, mas e as armas? Gygax acrediava que seria mais interessante se eles conseguissem lidar com as coisas sem esses itens, usando mais de habilidade para se livrarem dos problemas. Ele até comentou que estava planejando uma terceira temporada, onde os garotos voltariam para o mundo de fantasia (sem Uni e Bobby -ou seja, Uni ficaria no nosso mundo) e sem as armas. Claro que como todos sabem, o programa infelizmente foi cancelado.

-A prática da "aventura solo" era comum. Nos fins de semana, o grupo se reunia para jogar (de 10 a 20 pessoas !!!!), mas durante a semana, alguns jogadores mais "da casa" como Rob e Terry Kuntz e Ernie Gygax tinham aventuras solo com seus personagens. Estes três foram os únicos a conseguir passar pelos 13 nívels embaixo da terra do Castelo Greyhawk (na época, antes de se fundir com o castelo que Rob criara, o Castelo Greyhawk tinha menos de 20 niveis), sempre em aventura solo. Os personagens estavam por volta do nível 10, e assim como planejado por Gygax, ao chegar no último nivel do castelo, eles escorregariam por um "tunel mágico" até o outro lado do planeta, num local equivalente à China (lembrando que nos primórdios, Greyhawk era um cenário que usava um "mapa mundi" comum, como o que temos nos livros de geografia).

-Gygax quase teve que excluir os nomes "orc, ent, elfo, anão, dragão e goblin" do D&D. Da lista imposta pelos representantes de Tolkien, apenas "warg" (que virou "worg"), "hobbit" (halfling) e "Balrog" (Pit Fiend) sairam. Hobbit não seria uma palavra exclusiva de Tolkien, mas para evitar maiores brigas, a equipe da TSR decidiu tirar "hobbit".


Existem muitas outras informações legais. A parte negativa é que existe muito espaço mal aproveitado no livro, com as vezes uma pergunta apenas ocupando a página inteira, e às vezes, as informações são apenas piadas. A ideia de Paul Hughes, organizador e dono do Blog of Holding, era de juntar no livro informações do Q&A que celebrassem a vida de Gygax, e por isso temos a inclusão de informações "cerveja preferida" ou "time de futebol".

Mesmo assim, é um livro muito bacana, repleto de informações e curiosidades.

Um comentário:

  1. Curiosidades muito bacanas, cara! Posta mais coisas depois! =D

    ResponderExcluir